terça-feira, 22 de março de 2011

“Por cada leão que cair outro se levantará”


Um dos maiores Leões de sempre tombou hoje. Uma vida preenchida, que foi para lá do seu belo e eterno Sportinguismo, e que muito nos orgulhou. Artur Agostinho faleceu hoje aos 90 anos de idade [25 de Dezembro de 1920 — 22 de Março de 2011].

Uma perda irreparável de um homem ímpar que foi jornalista desportivo, locutor, apresentador de televisão e actor. Qem não se lembra de filmes como Capas Negras (1947), O Leão da Estrela (1947), Cantiga da Rua (1949), Sonhar É Fácil (1951), Dois Dias no Paraíso (1957), O Tarzan do 5.º Esquerdo (1958) e Encontro com a Vida (1960)...

Resta-nos honrar tão grande e gloriosa figura. Obrigado Artur Agostinho, também por tua causa eu sou Sportinguista. Como tantos por esse mundo fora...

6 comentários:

  1. Olá CG.

    Não te sei dizer quem fotografou, vi esta foto neste post [http://www.sporting-sempre.com/clube/adeptos/pontos-nos-ii-por-artur-agostinho-para-record]

    Se souberes quem fotografou diz, que colocarei a fonte, naturalmente.

    ResponderEliminar
  2. Imbecis como vocês deveriam estar proibidos de evocar o nome Artur Agostinho. Pelo menos, ao digitar este nome ganhem alguma dose de decência, de desportivismo. Infelizmente, não aprenderam nada com o senhor.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado anónimo por esta lição de decência esportivismo...

    Mais uma Armés [pelo menos tenta mudar o IP rapaz...]

    ResponderEliminar
  4. Envio as mais sentidas condolências, à Família Sportinguista, pela perda de um Enorme Senhor.


    PS: Pena foi, que após o 25 de Abril, tenha sido tão mal tratado, por alguns a quem ele deu a mão.

    ResponderEliminar
  5. A voz que atravessou gerações, o homem dos sete ofícios, o verdadeiro desportista, competente, da paixão pelo arrebatador Sporting dos "cinco violinos". A suprema ironia: o comunicador nato incomunicável numa cela de Caxias, preso pelos revolucionários que cuspiram nos ideais de Abril a troco da imposição da sua democracia. Fazendo jus ao nome, o Artur, corajoso e autoconfiante, começou uma nova vida aos 50 anos no país irmão, porque o nosso, maldizente, fechou-lhe as portas. Voltaste, rejuvenescido e aclamado até chegar o descanso, nobre Leão, com a certeza e a consciência de que nunca te arrependeste de nada na tua exemplar vida.

    ResponderEliminar

Escreve aqui a tua opinião, seja ela qual for.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Procurar na Bancada de Imprensa

Pesquisa personalizada

Número total de visualizações de página

SiteMeter

FeedBurner FeedCount

Page Rank

Subscribe via email

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner