quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Islândia vs Portugal: Os destaques

Portugal venceu ontem a Islândia, por 3-1, com o golos portugueses a serem apontados por C. Ronaldo (3'), Raul Meireles (27') e Hélder Postiga (72'). O jogo chegou a estar empatado 1-1 quando aos 18' Heidar Helguson marcou para a Islândia. Golo esse que teve o beneplácito de Eduardo. O jogo acabou por ser mais difícil do que o esperado, a Islândia como se previa, e fruto do seu futebol mais físico, acabou por colocar a nu algumas deficiências da nossa defesa. Qualquer lance por alto revelava-se de extrema dificuldade para os nossos defesas. Não esquecendo que os médios portugueses ajudaram muito pouco os nossos laterais, veja-se o lance do golo dos Islandeses: uma perda de bola de Fábio Coentrão, que não estava devidamente coberto por um companheiro, e que originaria o canto do qual resultou o golo de honra, e muito festejado, da Islândia. Eduardo acabaria por ser muito mal batido neste lance, não sendo a primeira vez que tal ocorre, contudo e mesmo assim não temos alternativas superiores. Esta benesse portuguesa deve ter contagiado Gunnleifsson que viria também ele a demonstrar grande insegurança, e da qual Postiga tiraria o devido proveito. Assim sendo cá ficam os meus destaques:


Pela positiva: 
1) O capitão Cristiano Ronaldo. Pelo golo - o seu 25º pela Selecção Nacional - e pela atitude demonstrada. Não foram raras as vezes em que acompanhou os jogadores Islandeses que estavam prestes a colocar em cheque a defensiva portuguesa. Cristiano Ronaldo chegou a aliviar lances bastante perigosos, demonstrando com isto uma atitude de verdadeiro líder. Sobre o que acrescentou ao ataque da selecção é falar do habitual: carradas de talento só ao alcance de um predestinado.
2) Raul Meireles. Com este jogador Portugal pode enfrentar qualquer batalha no meio-campo. Sempre disponível para defender e acrescentando poder de fogo à linha média, que ontem esteve regular, sendo determinate mais uma vez no resultado final.

Pela negativa:
1) A defesa de Portugal: Foi confrangedor ver a nossa defesa perder sucessivamente lances pelo ar. E se contra uma Selecção pouco capaz, como é a da Islândia, o sufoco foi evidente em alguns lances o que dizer quando jogarmos contra selecções de outro gabarito? Outra questão prende-se com a falta de coordenação da equipa, em conseguir cobrir as investidas dos seus laterais. Ontem, como com a Dinamarca, foi evidente a falta de rotina a efectuar estas compensações. Os médios apoiaram muito pouco a defensiva e não foram raras as vezes em que Ronaldo, com uma enorme cultura táctica, a ter de vir em auxílio de um afoito e temerário F. Coentrão. Do outro lado J. Pereira não sentiu, de forma tão acentuada, essa disponibilidade por parte de Nani e passou também ele, por dificuldades escusadas.

Na ante-visão do jogo coloquei a hipótese de colocar-mos em campo um médio mais fixo à frente da defesa. E como não temos nem P. Mendes nem M. Veloso, que são os "6" portugueses por excelência não teria sido melhor colocar Pepe nesta posição? Situação essa que acabaria por dar lugar a B. Alves, o jogador português mais competente no jogo aéreo. E falo de uma situação de momento, para este jogo e com as citadas ausências... À atenção de Paulo Bento para os próximos jogos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Escreve aqui a tua opinião, seja ela qual for.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Procurar na Bancada de Imprensa

Pesquisa personalizada

Número total de visualizações de página

SiteMeter

FeedBurner FeedCount

Page Rank

Subscribe via email

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner